BLOG METAMORFOSE rabiscos de Anna

Complexidade, conflitos, arquétipos, riqueza interior…

Refletindo sobre a complexidade do ser humano, acho que cheguei a uma conclusão… Esta vasta complexidade interna é um reservatório imenso de potenciais e, com certeza, de uma riqueza extraordinária, onde podem coabitar diversos arquétipos. Esses arquétipos podem ser dos mais variados possíveis, e até mesmo contraditórios. Por causa disso, muitas vezes, o conflito se instalará se não tomarmos cuidado.

Creio que dependerá de cada indivíduo lidar com seus arquétipos da forma mais habilidosa possível. Se conseguirmos colocar cada arquétipo em seu devido lugar e no momento oportuno, tudo fluirá bem. Do contrário, poderemos cometer a imprudência de usarmos roupa de frio no verão, e de calor no inverno. Em suma, ficaremos perdidos sem saber quando e como atuar com o arquétipo correto.

Como nossas atitudes em geral são inconscientes, pois sempre há um longo e infinito caminho para o autoconhecimento – similar àquela mitológica estrada em que quanto mais andamos mais longe fica o ponto de chagada –, nós viveremos em permanente conflito, não entendendo porque a vida, muitas vezes, dá errado, embora sejamos cheios de talentos, sensibilidade e profundidade.

Sabemos quando temos um interior rico, isto é fato. E muitas vezes quando olhamos para a vida de pessoas que sabemos não possuírem toda essa complexidade interna, nos deparamos com uma vida que, aparentemente, dá mais certo do que a nossa. Mas há solução, e ela não é tão complicada quanto pode parecer, mas é claro, exigirá que estejamos imbuídos e comprometidos com aquela looonga e mitológica estrada…

O que precisamos fazer é transformarmos toda a nossa complexidade em simplicidade. Conseguimos este feito quando colocamos cada macaco no seu galho. Todos os nossos variados lados, facetas, arquétipos, enfim, devem ser reconhecidos, compreendidos e adaptados ao que somos. Temos que colocá-los em harmonia uns com os outros.

Sabe aquela festa que você dá e convida algumas pessoas que não se dão bem e você precisa ficar monitorando com cuidado para que elas não se estanhem gerando uma briga na sua festa? É exatamente isso que precisamos fazer dentro de nós mesmos com as nossas partes, digamos, incompatíveis.

Feito isto, poderemos usufruir com mais leveza e prazer da nossa riqueza interior e da profundidade de nossa alma…

Anna Leão (Favor mencionar texto e autoria ao reproduzir este texto.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »