Poema

Lua Cheia

Não consigo fazer nada na lua cheia…
Lua que me incendeia e me desnorteia
Lua que enche de fogo os meus mares
Os mares das minhas emoções
Emoções insanas, arrebatadas, exacerbadas.
E assim se vai a minha paz interior…
E assim se vai todo o meu amor…
Navegando por aí, atrás de um receptor.

Lua cheia, eu te peço: não me perturbe mais
Me deixa te reverenciar com brilho e esplendor
Ma também com calma  interior.
Que a tua magia sirva “apenas” para me inspirar a poetizar
E quem sabe até mesmo a profetizar.

Lua cheia que me faz sonhar
Que o teu poder faça o sonho se concretizar
E a magia não acabar
Mas longe de mim ter que navegar
Em noites mal dormidas a esperar
Que a mente serene
Que as emoções se acalmem
Que o corpo se aquiete.

Anna Leão (favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »