Poema

Transmutação

Palavras perdidas
Jogadas ao vento
Recortadas em cânticos
Se fazem presente
Fragmentos antigos
De um mundo distante
Sonhado por muitos
São como serpentes.
Serpentes sinuosas 
Que se enroscam em mim
Se apoderam do que eu fui
E me transformam de novo
Em um novo ser
Em uma nova mulher
Num tempo presente
Não mais tão distante.

 

 

 

Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »