Poema

Pesadelo

 

Tranco-me no quarto escuro que escolhi para mim
Reverencio fantasmas que me trazem luz
Todos os anos me inclino para um lado obscuro
Mas não encontro sinal do que tanto procuro.

Quando abro a janela e deixo o sol entrar
Me sufoco com o prana que tenta em vão me ajudar
Soletro palavras desconexas enfim e procuro uma mão que ainda possa ajudar.

Por que sorrisos não me comovem mais?
Por que teus olhos já não me fitam mais?
Morri e esqueci de deitar
Te perdi e esqueci de me amar!

 

Anna Leão.  Todos os direitos reservados. (favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »