Poema Poesia

DISFARCES

Por baixo dos panos
Deixo pessoas estarrecidas.
Não convenço ninguém com a minha carinha de anjo
Mas mudo respostas com um mero olhar.
Profundos e penetrantes são os olhos de quem te olha
Eu, mulher, veneno, submissa
Mas até quando?
Até parares de me afrontar com palavras profanas
E enxergares em mim a Deusa que daqui emana.

Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »