Poema

Doente de amor

 

Tonteira de amor passa de repente
Mas cada beijo dado torna-se permanente.
Em minha mente desfio imagens em preto-e-branco
Enquanto meu coração em retratos coloridos
Sorve todo o sentimento de amor que provei um dia.
Anna Leão (favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »