Deusas Eurynome HRANA JANTO patriarcado

EURYNOME – A GRANDE DEUSA DE TODAS AS COISAS

Eurynome é a Deusa grega da Criação. É uma Deusa antiga, pré-Helênica. Originalmente ela foi a governante do Olimpo, Mãe dos Deuses e do Universo.

Do caos, Eurynome surgiu e dividiu o mar dos céus, dançando seu êxtase sobre as ondas. Sua dança levou-a a criar o vento norte, o qual ela transformou em serpente dando-lhe o nome de Ophion.

Eurynome fez amor com Ophion, transformou-se em pomba e botou o ovo cósmico que continha toda a Criação.

Como foi Ophion que quebrou o ovo, achou que tinha o direito de se proclamar o responsável pela Criação. Sabendo disso Eurynome aprisionou-o no Tártaro e continuou a criar o Universo.

Com o advento do patriarcado e com a conseqüente supremacia dos Deuses gregos masculinos, Eurynome perdeu muito de seus atributos e do seu poder absoluto. Foi então considerada a Mãe das Graças.

Eurynome pode ser recuperada hoje em dia com toda a sua força, poder e plenitude. Ela representa a mulher criativa, livre e entusiasta.

O êxtase e o prazer são símbolos desta Deusa que criava o mundo com alegria e exuberância através do movimento espiralado de Sua dança.

Eurynome nos faz pensar no verdadeiro poder da criação feminina. Esta que é livre, prazerosa, plena e autônoma.

É interessante observar no mito como, mais uma vez, o masculino tenta usurpar o poder original e legítimo do feminino.

Anna Leão

Nota: A ilustração acima é de Hrana Janto do livro O Oráculo da Deusa de Amy Sophia Marashinsky.

(1) Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »