poema. poesia

LIBERTA DE TI

Não sejas infiel a teus sonhos e a teus planos
Não ouças vozes de quem nada tem a ver contigo
Procura a chama que flameja em teu peito e segue a reta
As curvas são obras do “demônio”
Mas o que seria do homem se não fosse ele
Que o põe à prova o tempo todo
Para encontrar com seu Deus?

Liberta de ti a esperança do amanhã
E reine o hoje.
O tempo não te espera
Mas tu esperas o tempo
Que às vezes passa,
Que às vezes não passa.

Pega carona no bonde do teu sonho maior
E se vira do jeito que puder
Mas não mata a fome do teu destino.
Só ele pode responder por ti.

Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »