Dia Internacional da Mulher Mulher poder social

O Dia Internacional da Mulher!

Dia 8 de março se comemora o Dia Internacional da Mulher. Convido vocês a tirarmos essa semana para refletir sobre alguns pontos relacionados à mulher.

Vamos começar pela polêmica desse dia, pois se há um dia para nos homenagear, é como se não fôssemos dignas de homenagem todos os dias? Cadê o dia do homem? Não há um dia especial porque todo dia é dia dele. Assim como não há o dia do branco, mas há o dia do negro e do índio; como não há o dia do adulto, mas há o dia da criança e do idoso; como não há o dia do patrão, mas há o dia da secretária, da empregada doméstica… O que aqueles que não têm um dia especial- pois são “donos” de todos os dias – têm em comum? PODER SOCIAL. Infelizmente ainda vivemos numa sociedade racista, machista e patriarcal. As coisas não estão tão equilibradas como gostaríamos ou nos fazem supor. Pois, mesmo com as leis de igualdade entre todos, os preconceitos e repressões ainda existem enraizados em nossa cultura e no inconsciente coletivo. Essas coisas demoram para mudar e se não houver um trabalho individual de cada um, a ação de grupos se torna estéril.

Lembrando que estamos aqui falando especialmente da mulher, se cada uma não acreditar em si mesma, se não mantiver contato com o seu feminino sagrado, se não elevar a sua auto-estima unicamente por ser mulher, ainda estaremos com o nosso poder subjugado, adormecido e desconhecido de nós mesmas. Este poder está longe de ser o que conhecemos hoje como poder, não é um poder que subjuga, é algo bem mais abrangente. É um conjunto de força, sabedoria, solidariedade, criatividade, unidade e igualdade, no sentido mais elevado desta palavra.

Por tudo que disse até então, pode parecer que acho um prêmio de consolação esta data. Pode até ser, mas como tento tirar sempre o positivo das situações, acho que devemos comemorar esse dia sim! Tirar esse dia para nos celebrarmos, para refletirmos, como já estamos fazendo aqui. Lembrando que esta data foi escolhida em homenagem a tantas mulheres que morreram em um incêndio numa fábrica de New York devido a condições desumanas de trabalho, no ano de 1957.

Volto ainda esta semana para continuarmos refletindo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »