Charmed Fever Rose McGowan

PAIGE E O PODER DA MULHER!

Minha filha mais velha estava assistindo hoje à tarde ao vídeo que posto aqui. Quando o vi percebi que ele tem tudo a ver com a postagem de ontem sobre bruxas e sobre a anterior que fala em se expressar. O vídeo é da personagem Paige, que é uma bruxa, no seriado Charmed. Ela canta Fever, para o seu amor.

Paige canta e encanta com sua performance. Isto me fez pensar que toda bruxa expressa seus sentimentos. Toda bruxa é intensa, tem coragem emocional. Quando há períodos em que ela se acomoda, é porque está perdendo sua força, sua vitalidade, desperdiçando seu potencial.

Toda mulher é uma bruxa. Pois a mulher já tem por natureza seu canal aberto com o mundo mágico, com as questões mais sutis e invisíveis. É por isto que quando se encontra um homem com este canal aberto, ele deve ser considerado especial, pois ele tem um dom a mais. Agora, é bom que ele não o use para fins meramente egoístas.

Já a mulher, ela nasceu pronta. Pena que muitas não percebam este potencial, esta conexão.Então, elas soterram todo o seu potencial e adormecem a bruxa. A culpa não é delas, a princípio. Isto é fruto do meio, de um mundo patriarcal, que incentiva apenas o racional, o linear, a ordem, o ter. Mas resgatar sua força interior, a força do feminino, sua intuição, sua sensibilidade, seu sexto sentido,sua ancestralidade, é responsabilidade nossa sim.

Outro dia uma grande amiga me disse que estava em casa e de repente deu uma vontade de ascender uma velas, fazer uma prece… e assim ela fez com umas velas decorativas que tinha em casa. Ela “oficialmente” não segue nenhum caminho mágico, embora demonstre interesse pelo assunto. Ela me confessou que depois soube que neste momento do ritual, uma pessoa muito querida havia sofrido um acidente, mas que felizmente não havia sofrido nada. Minha amiga estava meio angustiada e não sabia o porquê, isto a levou a fazer o pequeno ritual. Depois que o fez ela me disse que se sentiu bem melhor, mais tranqüila.

Ela realizou o ritual no momento do eclipse, e não tinha idéia disso. Depois ela me confessou que não era a primeiro vez que acontecia algo semelhante. Fiquei entusiasmadíssima quando ela me disse que sua avó era irlandesa!!! Infelizmente ela não a conheceu. Foi taõ engraçado ela falando: ” … a minha avó era ruiva…sabe, ela era irlandesa…” Ah! Para mim isto é muito importante. Para quem é bruxa isto é muito importante. A ancestralidade é muito importante, pois não é só o sangue, tem o vínculo espiritual!

A força da mulher, sua expressão, seu poder, sua exuberância, está em sua feminilidade, em sua própria energia feminina. Não estou aqui falando em ser desmilingüida ou languida, não é nada disso, se isto não faz parte de sua natureza. Não esqueçamos das Amazonas, por exemplo. Falo de não abaixar a cabeça para algo que vai contra a sua natureza de mulher. Falo em ser livre, selvagem, natural, e não perder a ternura, jamais.

Uma mulher sem contato com sua essência mais profunda perde o mistério. E é este o responsável pelo seu encanto. Não falo de joguinhos bobos que muita gente faz. Falo de algo profundo, inerente a natureza feminina. Não é esconder nada. É simplesmente ser!

Nota: O nome da da atriz que interpreta a Paige é Rose McGwan.

Anna Leão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »