BLOG METAMORFOSE rabiscos de Anna

Quando o amor bater à porta…

Quando o amor bater à porta, quero estar serena e tranquila para recebê-lo

Quero estar despida de preconceitos, receitas e pormenores

Quero estar inteira, feliz e preenchida.

 

Quando o amor bater à porta, quero estar de posse de mim mesma

Quero já ter me despedido de traumas e bloqueios

Quero poder apreciá-lo com o frescor de uma nova vida, de uma nova promessa, de quase uma nova existência

 

Quando o amor bater à porta, quero sorrir de alegria e plenitude

Quero estar reinventada por inteiro como se tivesse mudado de forma

Quero já ser outra pessoa, aquela que jazia adormecida em sono profundo, mas que sempre me pertenceu

Quando o amor bater à porta, quero acordá-la antes mesmo dele chegar, para, com esta nova roupagem , poder me deliciar…

Com o calor, o amor e a renovação de um novo amor

 

Quando este amor bater à porta, não quero promessas, muito menos esperanças

Quero certezas, fatos, ações, concretude

Quero constância dentro do fluxo vital dos relacionamentos

Quero prazer, sintonia e leveza

 

Quando você bater à porta quero poder me desnudar por completo, porém mantendo ainda um quê de mistério

Quero assobiar de felicidade como se, finalmente, conseguisse aprendera  fazer o que tanto já tentei em vão

Quero andar de balão, viajar mais de avião, correr pelos campos, mergulhar no mar, soltar pipa, subir montanhas, simplesmente pra celebrar…

Celebrar o idílio deste lugar… O lugar do amor, da comunhão, da plenitude, da visão ilimitada que a união de duas almas afins proporciona

Mas não fiquemos apenas em nossas almas, e aterrissemos em nossos corpos para desfrutarmos também do prazer carnal e glorificarmos a paixão

Para a sentirmos se expressando em cada toque, em cada beijo, em cada abraço, em cada amasso, em cada orgasmo.

 

Quando você bater à porta, já sinto o seu cheiro, já ouço os seus passos, a sua voz…

Já vejo o seu sorriso, já sinto o seu olhar a me amar e a me acarinhar

Já sinto o vento frio se transformar num brisa suave a balançar os meus cabelos

Já vejo a escuridão se iluminar mesmo numa noite sem luar

 

Você chega à porta e meu coração canta de felicidade…

A felicidade dos plenos de amor, daqueles que sabem o que é o amor…

Daqueles que não têm dúvidas do seu amor, daqueles que se sustentam “apenas” com amor.

 

Você chega à porta… Não precisa bater… Ela já está aberta…  Para você…

 

Anna de Leão (Favor mencionar fonte e autoria ao reproduzir este texto)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »