rabiscos de Anna

Sinto que estou mudando…

Sinto que estou mudando. Aquela transformação sutil, que começa do nada, e que, de repente, você olha e se vê completamente mudada.  Sinto-me confortável com esta mudança. Retornando a um lugar onde já estive antes… São os tão falados ciclos… Mas como nada é igual, como a vida evolui e a gente cresce com ela, esses ciclos acontecem em uma oitava superior. São novos tempos, depois de novas vivências, de inúmeras experiências que contribuem para a nossa maturidade.

Não acho que ela aconteça por fatores ou situações externas. A maturidade brota de dentro e induz  mais paciência, compreensão, sabedoria e introspecção. Esta última é importante no momento, muito importante. Para o meu trabalho de criação, para o meu foco e a minha determinação. Às vezes, confesso, tenho me questionado um pouco sobre ela. Talvez com receio de ficar nela para sempre, repetir vivências, ciclos. Mas no fundo sei que este tolo receio não é real, pois há muito não voltava para casa, para mim mesma. E isto  é necessário e natural neste momento.

Sei que estou num ano de preparação, de aprimoramento e de total dedicação a minha arte, a minha escrita, ao meu trabalho. E mergulho nisso com tanto prazer, como mergulho em mim mesma. Claro, somos uma coisa só, eu e a minha expressão.

Muitas coisas têm ficado em segundo plano. Outras coisas eu estou deixando para trás ou pelo menos em suspensão neste momento. Mas é preciso. É o momento de transição, talvez de incubação. Há muito eu vinha atuando bastante no externo. Está sendo gostosa esta volta para casa. E quero aproveitar o máximo possível, pois sei que depois virá novamente a expansão, vou sair para o mundo de novo. Mas dessa vez, munida de criações, exportando arte para o mundo, brilhando como o sol que me rege e aquecendo corações com o calor das minhas paixões.

 A. L.
 
 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »