Sem categoria

Ser…

Nos recantos do meu ser
Abrigo cânticos que desconheço.
Poderei eu ser inteira um dia
Ou serei sempre fragmentada em pedaços coletivos?
É cruel a urgência que sinto em me mostrar verdadeira onde quer que eu queira.
Me livrar de tormentos angustiantes
E de angústias atormentadas.
Brinco com as palavras porque não sei o que dizer
Só sei que o mundo desespera somente quem quer ser.
Livre, imortal, substancial,
É assim que me vejo.
Mas serei mesmo desse jeito
Ou serei fantasma do que almejo ser?
Quem sabe, talvez, aquilo seja apenas uma sombra de você.

Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »