poema. poesia

A FORÇA

De Metamorfose

Hoje já senti, é a noite negra da alma
A alma que não vê, mas que sente
Sente que algo precisa acontecer
Que algo começa a emergir
Mas não sabe de onde
Não sabe pra onde.

A força…
A força sensível que alguns têm…
Como fazê-la escoar?
Pra onde?
Pra quem?

A solitude que brota em mim
A solitude que permeia em mim
Me preenchendo cada vez mais
Com meu próprio sabor
Com meu próprio ardor
Com meu próprio valor.

Anna Leão. Todos os direitos reservados.

(2) Comments

  1. Oi Anna!!
    Gostei muito do seu Blog.
    Vi seu artigo no jornal Pôr do Sol, edição de setembro que falava sobre Bruxas e Fadas.
    Beijos,
    Renata.

  2. ANNA LEÃO says:

    Muito obrigada, Renata!
    Seja muito bem-vinda!!!
    Espero ter você sempre por aqui!
    Beijos,
    Anna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »