Poema

Meus olhos

 

De difícil solução foi o que senti contigo
Que me arremessaste para longe de mim mesma.
Quanto devo esperar para me ver de novo?
Quanto devo esperar para sentir de novo?
Como foi a tua descida?
Como foi a tua procura?
Perdoe-me o engano
Mas não serão meus os teus olhos?
Não serão teus, os meus olhos?
Anna Leão (favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »